terça-feira, 13 de setembro de 2016

Instalação e configuração inicial do Squid

Dando sequência ao assunto do último post, primeiramente temos que instalar o Squid. Não precisa ser no gateway de rede, mas geralmente as pessoas configuram assim. A última versão é a 3, e ela contém algumas mudanças em relação aos parâmetros de configuração da versão anterior. 

# apt-get install squid3

Ao ser instalado, o Squid cria um “pequeno” arquivo de configuração em /etc/squid3/squid.conf. Não se espante com suas 5780 linhas. Embora o Squid tenha muitos recursos, seu arquivo de configuração original também é seu arquivo de documentação. Portanto é recomendado salvar o arquivo original e criar um novo. Primeiro, vamos renomear o arquivo original.

# mv /etc/squid3/squid.conf /etc/squid3/squid.conf.orig

Agora, vamos criar um novo arquivo /etc/squid3/squid.conf com o seguinte conteúdo:

http_port 3128
acl all src 0/0
http_access allow all

A primeira linha diz a porta que o Squid ouvirá. A padrão é 3128. A segunda linha contém uma ACL (access control list). Encare as ACLs como os personagens do Squid. O nome da ACL é “all” e é do tipo “src”, ou seja, ip de origem. O parâmetro “0/0” significa qualquer ip. A última linha contém uma http_access, que são onde realmente são permitidos (allow) ou negados (deny) os acessos. Aqui nós estamos permitindo (allow) a qualquer ip (all) acessar qualquer coisa, visto que não especificamos mais nada. 

Agora basta reiniciar o Squid.

# service squid3 force-reload

Neste momento, basta configurar o navegador para usar o proxy, como no print abaixo, alterando o ip conforme a tua rede.




Isso basta para que a navegação passe pelo proxy. Mas não se preocupe com os detalhes, pois vamos entender melhor a configuração do proxy e fazer algumas personalizações nas próximas postagens.