quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Trabalhando com File Glob e Expressões Regulares

Muito usado em pesquisa de arquivos, File Glob é uma forma de fazer referência a vários arquivos usando uma única expressão. As mais conhecidas, também usadas na linha de comandos do Windows, são o asterisco "*" e o sinal de interrogação "?".

O "?" substitui um único caracter no nome do arquivo. Por exemplo, vamos supor que você tem uma pasta com os seguintes arquivos:

$ ls
carta1.odt  carta4.odt      carta_ext2.odt  ci1.odt  memorando1.odt
carta2.odt  carta5.odt      carta_ext3.odt  ci2.odt  memorando2.odt
carta3.odt  carta_ext1.odt  carta.odt        ci3.odt  memorando3.odt

Para listar os arquivos "carta1.odt", "carta2.odt", etc, mas não "carta.odt", digite.

$ ls carta?.odt
carta1.odt  carta2.odt  carta3.odt  carta4.odt  carta5.odt

O "*" substitui uma sequência qualquer de caracteres, inclusive nenhum. Para listar todos os arquivos que possuem "memorando" no nome, digite:

$ ls memorando*
memorando1.odt  memorando2.odt  memorando3.odt

Outro exemplo, vamos listar todos os arquivos que começam com "carta".

$ ls carta*
carta1.odt  carta3.odt  carta5.odt        carta_ext2.odt  carta.odt
carta2.odt  carta4.odt  carta_ext1.odt  carta_ext3.odt

Reparem que, ao contrário do "?", o "*" também listou o arquivo carta.odt.

Mas há ainda outras construções que não existem no ambiente Windows. Para listar todas as cartas com número 1 até 3 digite:

$ ls carta[123]*
carta1.odt  carta2.odt  carta3.odt

Essa construção considera todos os caracteres dentro de "[]". Para listar, por exemplo, "menino.txt" e "menina.txt" poderíamos usar "menin[ao].txt".

Outra forma é a seguinte:

$ ls carta[1-3]*
carta1.odt  carta2.odt  carta3.odt

O "-" diz "do primeiro caracter até o último". Se quiséssemos listar todos os arquivos que comaçam com números poderíamos usar "[0-9]*".

Podemos usar a negação "^". Para listar todos os arquivos que NÃO sejam de 1 a 3 digitamos:

$ ls carta[^1-3]*
carta4.odt  carta5.odt  carta_ext1.odt  carta_ext2.odt  carta_ext3.odt  carta.odt

Se eu não quiser "carta_ext", basta incluir o caracter "_" no comando acima.

$ ls carta[^1-3_]*
carta4.odt  carta5.odt  carta.odt

Você pode querer também listar todos os arquivos "carta" e "memorando". Para isso, use o "{}".

$ ls {carta,memorando}*
carta1.odt  carta2.odt  carta3.odt  carta4.odt  carta5.odt  carta_ext1.odt  carta_ext2.odt carta_ext3.odt  carta.odt  memorando1.odt  memorando2.odt  memorando3.odt

Reparem que "ci" não foi mostrado.

Essas regras podem ser misturadas. Por exemplo, para mostrar todos os arquivos "carta" ou "memorando" mas que sejam de 3 até 5, digite:

$ ls {carta,memorando}[3-5]*
carta3.odt  carta4.odt  carta5.odt  memorando3.odt

A tabela abaixo resume as opções de File Glob

*
Qualquer coisa
*.txt
?
Um caractere qualquer
arquivo-??.zip
[...]
Qualquer um dos caracteres listados
[Aa]rquivo.txt
[^...]
Qualquer um caractere, exceto os listados
[^A-Z]*.txt
{...}
Qualquer um dos textos separados por vírgula
arquivo.{txt,html}

Já as expressões regulares, ou REGEX, são expressões usadas para referenciar várias sentenças. São muito parecidas com o FileGlob, mas são usadas para pesquisa de texto. Por exemplo, o ponto (.) é usado para substituir um caracter. Já a barra invertida (\) diz que o próximo carcter deve ser interpretado literalmente. Por exemplo, para listar todos os sites dos tribunais regionais estaduais você pode fazer a seguinte regex:

trt\...\.gov\.br

Em outras palavras a regex acima diz para trazer qualquer texto que tenha a string "trt" seguida de um ponto literal (\.) seguida de dois caracteres quaisquer (..) seguida de outro ponto literal (\.) seguida do texto "br".

trt.sp.gov.br
trt.rj.gov.br
trt.ms.gov.br

Se eu quiser apenas os tribunais do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul posso usar o [] para referenciar todos os caracteres que podem aparecer na posição.

trt\.m[st]\.gov\.br

Se quisermos todos os tribunais menos os do Distrito Federal e do Ceará usamos o caracter de negação (^).

trt\.[^cd].\.gov\.br

Uma regex que uso bastaste é para omitor as linhas em branco de um arquivo texto . Para isso uso os posicionadores "^" (começo de linha) e o "$" (fim de linha).

grep -v ^$ arquivo.txt

No comando acima estou pedindo para o grep listar todas as linhas do arquivo "arquivo.txt"" com excessão (-v) daquelas que começam (^) e logo em seguida terminam ($), ou seja, as linhas em branco.

Em meus filtros de conteúdo eu costumo bloquear todos os sites que são acessados por IP. Para isso posso usar a regex {}. Por exemplo, para se referir a qualquer número de 0 a 999, uso a seguinte expresão.

grep -E '^[0-9]{1,3}' arquivo.txt

A regex {a,b} nos diz que a sequência anterior deverá se repetir pelo menos "a" vezes e no máximo "b" vezes. Se quisermos um número com exatos 3 algarismos, podemos usar [0-9]{3,3}. Se quisermos 3 ou mais vezes usamos [0-9]{3,}

Logo, para fazer referência a um endereço IP no começo da URL eu posso usar o seguinte:

^[0-9]{1,3}\.[0-9]{1,3}\.[0-9]{1,3}\.[0-9]{1,3}

Abaixo segue um resumo das expressões regulares.

Meta Nome Descrição
. Ponto Curinga de um caractere
[] Lista Casa qualquer um dos caracteres listados
[^] Lista negada Casa qualquer caractere, exceto os listados
? Opcional O item anterior pode aparecer ou não (opcional)
* Asterisco O item anterior pode aparecer em qualquer quantidade
+ Mais O item anterior deve aparecer no mínimo uma vez
{,} Chaves O item anterior deve aparecer na quantidade indicada {mín,máx}
^ Circunflexo Casa o começo da linha
$ Cifrão Casa o fim da linha
\b Borda Limita uma palavra (letras, números e sublinhado)
\ Escape Escapa um metacaracter, tirando seu poder
| Ou Indica alternativas (usar com o grupo)
() Grupo Agrupa partes da expressão, é quantificável e multinível
\1 Retrovisor Recupera o conteúdo do grupo 1
\2 Retrovisor Recupera o conteúdo do grupo 2 (segue até o \9)
.* Curinga Casa qualquer coisa, é o tudo e o nada
?? Opcional NG Idem ao opcional comum, mas casa o mínimo possível
*? Asterisco NG Idem ao asterisco comum, mas casa o mínimo possível
+? Mais NG Idem ao mais comum, mas casa o mínimo possível
{}? Chaves NG Idem às chaves comuns, mas casa o mínimo possível
Para saber mais sobre esse assunto eu recomendo o site http://aurelio.net/shell/canivete e o livro Programação Shell Script de Julio Cezar Neves.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Treinamentos em Linux

Pessoal.

Ministro cursos e palestras na área de TI há mais de 10 anos. Atualmente dou aulas do curso oficial preparatório de cerficação LPI (Linux Professional Institute), pfSense, Redes e outros. Estou criando vários cursos on-line, entre eles cito Introdução ao Linux, Linux em Redes TCP/IP, Introdução à linha de comandos do Linux e Linguagem Bash Script. Os cursos são de 16 horas e são ministrados no período noturno.
Quem tiver interesse me avise. Mais informações no link abaixo.


http://www.wiziq.com/course/80772-introdu%C3%A7%C3%A3o-ao-linux

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Pesquisa de texto com grep

O comando grep é usado para fazer pesquisa de textos em arquivos e em saída de comandos. Sua forma mais simples é a seguinte.

$ grep ricardo /etc/passwd
ricardo:x:1000:1000:Ricardo Lino Olonca,,,:/home/ricardo:/bin/bash
ftp:x:155:65534::/home/ricardo/Copy/Copy/:/bin/false

Aqui estou procurando todas as linhas que contenham o texto "ricardo". Eu posso também usar o grep para filtrar a saída de um comando.

$ ls -l | grep root
-rw-r--r-- 1 ricardo root    2232995840 Jul  8 09:11 Olonca_2014.iso

Nesse caso eu executei o "ls -l" e pedi ao grep para mostrar somente as linhas que continham a string de texto "root". 

Grep é case sensitive, ou seja, ele faz diferenciação entre caracteres maiúsculos e minúsculos. No exemplo anterior, vamos supor que eu precise saber as linhas que contenham o texto olonca; se eu digitar:

$ ls -l | grep olonca

não será mostrada nenhuma linha, pois o correto é "Olonca".

$ ls -l | grep Olonca
-rw-r--r-- 1 ricardo root    2232995840 Jul  8 09:11 Olonca_2014.iso

Para evitar isso, use o parâmetro "-i".

$ ls -l | grep -i olonca
-rw-r--r-- 1 ricardo root    2232995840 Jul  8 09:11 Olonca_2014.iso

Há situações onde você quer o inverso, ou seja, as linhas que NÃO contem a texto procurado. Para isso use o "-v".

$ grep -v bash /etc/passwd
daemon:x:1:1:daemon:/usr/sbin:/bin/sh
bin:x:2:2:bin:/bin:/bin/sh
sys:x:3:3:sys:/dev:/bin/sh
sync:x:4:65534:sync:/bin:/bin/sync
games:x:5:60:games:/usr/games:/bin/sh
man:x:6:12:man:/var/cache/man:/bin/sh
lp:x:7:7:lp:/var/spool/lpd:/bin/sh
mail:x:8:8:mail:/var/mail:/bin/sh
news:x:9:9:news:/var/spool/news:/bin/sh

Aqui estou listando todos os usuários que não possuem o shell bash. Se eu quiser contar essas linhas eu posso chamar o "wc -l" ou usar o parâmetro -c.

$ grep -v bash -c /etc/passwd
76

$ grep -v bash /etc/passwd | wc -l
76

Eu posso também querer mostrar apenas as duas primeiras ocorrências da pesquisa (-m 2)

$ grep -vm2 bash /etc/passwd 
daemon:x:1:1:daemon:/usr/sbin:/bin/sh
bin:x:2:2:bin:/bin:/bin/sh

Há dois parâmetros que funcionam como âncoras. Um se refere ao começa da linha (^) e o outro ao final ($). Por exemplo, para mostrar todas as linhas que começam com o texto "ricardo" no arquivo /etc/passwd digite:

# grep ^ricardo /etc/passwd
ricardo:x:1000:1000:Ricardo Lino Olonca,,,:/home/ricardo:/bin/bash

Para ver todos os usuários que usam o login "/bin/false" é só pesquisar pelo texto no final da linha.

$ grep false$ /etc/passwd
usbmux:x:101:46:usbmux daemon,,,:/home/usbmux:/bin/false
messagebus:x:102:104::/var/run/dbus:/bin/false
Debian-gdm:x:103:107:Gnome Display Manager:/var/lib/gdm3:/bin/false
haldaemon:x:105:109:Hardware abstraction layer,,,:/var/run/hald:/bin/false

Aqui vai uma dica preciosa: linhas em branco não consideradas linhas que começam e logo em seguida terminam, sem qualquer caracter entre o início e o fim. Portanto, para eliminar as linhas em branco de um arquivo é só executar o comando abaixo:

$ grep -v ^$ /etc/mtools.conf 
# Debian default mtools.conf file.
# "info mtools" or "man mtools.conf" for more detail.
# # Linux floppy drives
drive a: file="/dev/fd0" exclusive
drive b: file="/dev/fd1" exclusive
drive d: file="/dev/cdrom" exclusive
# # First SCSI hard disk partition
# drive c: file="/dev/sda1"
# # First IDE hard disk partition
# drive c: file="/dev/hda1"
# # dosemu hdimage.
drive m: file="/var/lib/dosemu/hdimage.first" partition=1 offset=128
# # dosemu floppy image
drive n: file="/var/lib/dosemu/fdimage"
# # SCSI zip disk
# drive z: file="/dev/sda4"
# # uncomment the following line to display all file names in lower
# # case by default
# mtools_lower_case=1

Para retirar os comentários do arquivo acima é só não mostrar as linhas que começam com "#". 

# grep -v ^$ /etc/mtools.conf | grep -v ^#
drive a: file="/dev/fd0" exclusive
drive b: file="/dev/fd1" exclusive
drive d: file="/dev/cdrom" exclusive
drive m: file="/var/lib/dosemu/hdimage.first" partition=1 offset=128
drive n: file="/var/lib/dosemu/fdimage"

Você pode querer ver não só as linhas pesquisadas como também algumas linhas antes (-B) e depois (-A).

# dmesg  | grep -A 2 -B 2 libata
[    1.544560] input: AT Translated Set 2 keyboard as /devices/platform/serio0/input/input0
[    1.544897] usbcore: Unknown symbol usb_speed_string (err 0)
[    1.547299] libata version 3.00 loaded.
[    1.745056] e1000e 0000:00:19.0: eth0: (PCI Express:2.5GT/s:Width x1) 50:e5:49:fc:de:9b
[    1.745059] e1000e 0000:00:19.0: eth0: Intel(R) PRO/1000 Network Connection

Você também pode usar as expressões regulares na pesquisa, mas isso é assunto para outro post.



quarta-feira, 23 de julho de 2014

Ferramenta gráfica para particionamento de disco

Quem pretende instalar o Linux em dual boot com o Windows provavelmente precisará redimensionar o disco para conseguir espaço para o novo sistema. Esse processo, chamado de particionamento, pode causar perda de dados se feito de forma errada. Por isso, muita gente tem um certo receio de fazê-lo. 

O Gparted é editor de partições (vulgo "particionador") gráfico que facilita e muito o processo de redimensionamento e particionamento do disco.


Ele tem suporte a vários tipos de sistemas de arquivo, como NTFS, FAT, Ext2, Ext3, Ext4, Reiserfs, Xfs, Jfx, Swap, Minix, etc, além do suporte a partições GPT.

Para diminuir o tamanho da partição Windows e liberar espaço para o Linux basta clicar com o botão direito na partição e escolher Redimensionar. Agora arraste a barra, ou digite o valor do tamanho desejado. Geralmente esse processo é bem tranquilo, mas sempre é bom fazer um backup. 

O Gparted está presente na maioria das distribuições Live-cd.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Gpaint, o Paint do Linux

O Paint é aquela aplicação que vem junto com o Windows e que as crianças amam. Dá prá fazer algumas pinturas, rabiscos, e até alguns ajustes em fotos. Pois no Linux também tem uma aplicação semelhante: o Gpaint.


O Gpaint já deve estar instalado na tua distribuição Linux, mas caso não esteja você pode procurá-lo no gerenciador de aplicativos. No Debian e derivados use o Synaptic ou, pela linha de comandos, digite:

# apt-get install gpaint 

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Olonca Live CD 2014

Está disponível no link https://copy.com/wXGfjHe0ZugX um live cd personalizado por mim. É essa versão que uso nos meus desktops e que contém a maioria dos aplicativos apresentados neste blog. A versão é baseada no Debian.

As principais mudanças em relação à 2013 são:


  • Kernel 3.2
  • Gnome 3.0
  • Instalador gráfico


Abaixo descrevo como instalar a distribuição usando o instalar gráfico que desenvolvi.

Após baixar a iso e queimar a midia, ligue o computador com DVD no drive. A seguinte tela aparecerá.


Aqui vale uma explicação: essa foto foi tirada em janeiro de 2014 no Ceará, a cerca de 3,5 Km da divisa com o Piauí, descendo a serra em direção ao Bom Jardim. É onde mora a avó da minha esposa. https://www.google.com/maps/@-5.5192587,-40.903904,50m/data=!3m1!1e3

No menu apresentado você pode escolher entre o modo Live (primeira opção) modo seguro (que não carrega alguns módulos que podem causar problemas e interface gráfica, ou num caso mais grave travar o sistema) e o teste de memória RAM. Escolhemos a primeira opção e teclamos ENTER.


Essa é a tela inicial o sistema pronto par ao uso. A foto é do Açude do Rodrigão, localizada na cidade de Novo Oriente, Ceará, Brasil.

Para instalar a distribuição, clique no menu Aplicativos, escolha Utilitários e clique em Terminal.


Na tela que aparece, digite "sudo ./instalar.sh


Será solicitada a senha de administrador. Digite "olonca" e tecle ENTER.


A tela seguinte mostra os discos que existem em teu sistema. Por enquanto o instalador não consegue dividir a instalação em vários discos, mas estou trabalhando nisso. Escolha o disco e clique em Ok.


É necessário criar pelo menos uma partição Linux. Também é recomendável criar uma partição swap para a memória virtual. Eu recomendo que a soma da memória virtual com a memória RAM seja de pelo menos 3Gb, mas isso é apenas uma recomendação. Clique em Ok.


Esta é a parte mais crítica da instalação. Nesta tela você pode alterar as partições do disco. É recomendável fazer um backup dos arquivos se você está instalando em dual boot em uma máquina que já possua o Windows, como no meu caso aqui. Na tela abaixo, vemos duas partições que foram criadas na instalação do Windows 7. Precisamos redimensionar a segunda partição. Embora seja raro aparecerem problemas aqui sempre é bom fazer um backup.


Clique na segunda partição com o botão direito e depois clique em Redimensionar/Mover.


Agora escolha o novo tamanho para a partição, ou o espaço que ficará livre após o redimensionamento. No meu caso eu deixei 16Gb de espaço livre. A instalação deverá ter pelo menos 8Gb. Clique em Redimensionar/Mover.


No espaço não alocado, clique com o botão direito e escolha Novo.


Em "Criar como", é aconselhável escolher "Partição estendida" e deixar todo o espaço disponível para ela. Clique em Adicionar.


No espaço não alocado clique com o botão direito e escolha Novo.


Agora vamos criar a partição destinada ao sistema operacional Linux. Você pode deixar todo o espaço disponível, mas aqui eu vou personalizar e separar 12Gb para o drive raiz. Digite 12000 em "Novo tamanho (Mb)" e clique em Adicionar.


No espaço não alocado clique com o botão direito e escolha Novo.


Estou separando 3Gb para o drive home. Numa instalação para Desktop esse drive deverá ser o maior pois conterá todos os teus arquivos pessoais. Digite 3000 em "Novo espaço (Mb)" e clique em Adicionar.


No espaço não alocado clique novamente com o botão direito e escolha Novo.


Vou deixar todo o espaço restante para a partição de troca. Em "Sistema de arquivos" esolha "linux-swap" e clique em Adicionar.


Nosso esquema de particionamento está completo. Clique no ícone verde onde deverá aparecer a mensagem "Aplicar todas as operaçoes" conforme mostrado na tela abaixo.


Uma tela avisará que as informações serão gravadas no disco. Clique em Aplicar.


O processo de criação das partições pode demorar um pouco dependendo do tamanho do teu disco.


Ao final do processo clique em Fechar.


Se você está fazendo uma instalação simples, ou seja, sem o Windows, será necessário marcar a partição raiz para ser bootável. Para fazer isso, clique na partição com o botão direito e escolha "Gerenciar sinalizadores".


Selecione Boot e clique em Fechar.


Agora feche a janela clicando no X conforme a tela abaixo. 


Agora escolha a partição onde deverá ser instalado o sistema raiz. No meu caso a partição sda5. Escolha a partição e clique em Ok.


A mensagem seguinte informa que todos os dados da partição serão apagados. Clique em Sim para continuar.


Agora esolha a partição onde deverá ser criada a memória virtual (swap). No meu caso é sda7. Clique na partição e depois clique em Ok.


Novamente a mensagem informando que os dados da partição serão apagados. Clique em Sim.


A tela seguinte pergunta se você quer colocar o drive Home em uma outra partição. Se você separou uma partição para os dados dos usuário clique em Sim. Caso contrário clique em Não. No meu caso cliquei em Sim.


Para quem clicou em Sim na tela anterior será mostrado uma tela para que a partição separada para o Home seja selecionada. No meu caso é a sda6. Escolha a partição e clique em Ok.


Se você já possui arquivos pessoais nessa partição então clique em Não. No meu caso cliquei em Sim.


Mais um aviso para quem escolheu formatar a partição Home informando que os dados serão apagados. Clique em Sim. 


Agora que as partições foram formatadas começa o processo de cópia dos arquivos. Isso pode levar bastante tempo. Tenha paciência. 


Após a instalação será perguntado o nome do novo usuário. Digite um nome que lhe agrade. No meu caso digitei "ricardo". Clique em Ok.


A senha do novo usuário é "olonca", assim como a senha do usuário root. Clique em Ok.


O processo de instalação terminou. Clique em Ok.


Clique no menu Olonca e depois em Desligar.


Agora clique em Reiniciar.


Antes do sistema reiniciar será pedido para que você retire a midia do drive de DVD. Retire e midia e tecle ENTER.


Ao reinciar, o menu abaixo será exibido. Nele você pode escolher entre os vários kernel do Linux (o padrão é o primeiro), o modo de segurança e o Windows (última opção). Ao entrar no Windows após a instalação um exame de disco será feito pelo Windows devido a mudança de tamanho da partição. Isso é normal. 


Qualquer problema é só me avisarem pelo e-mail ricardo.olonca@gmail.com

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Copy, alternativa ao Dropbox

Há vários sites que disponibilizam um drive para você, como o Dropbox e o Google Drive. Mas eu prefiro o Copy por três motivos:


  • Oferece 15Gb de espaço;
  • Tem suporte ao Linux;
  • Suporte a arquivos grandes, como meus arquivos .iso.




Você também pode compartilhar seus arquivos com outras pessoas.



Para instalar o cliente do Copy para Linux basta fazer o download clicando no Menu, como no print abaixo.


Após a instalação, um ícone será criado na bandeja. Clicando nele com o botão direito e em seguida em "Preferences..." você poderá configurá-lo. Por padrão, será criada uma pasta "Copy" na tua pasta padrão. Todos os arquivos que forem copiados para esse pasta serão sincronizados com o site.



O site do programa é https://www.copy.com/browse/copy.






quinta-feira, 10 de julho de 2014

Google Drive para Linux

O Insync é um cliente para o Google Drive que roda em Linux. Com ele você consegue sincronizar os arquivo do micro com o Google Drive.

Você pode fazer o download do Insync no endereço abaixo. Ele é grátis por 15 dias.

https://www.insynchq.com/

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Unindo arquivos PDF

Alguns arquivos PDF são bloqueados para alteração. Você não pode modificar o texto, por exemplo. Mas as vezes o que você precisa é somente retirar uma página, mudá-la de ordem, girá-la, ou mesmo unir vários arquivos. Para esses casos existe o Pdf-mod.


Você pode instalar o programa usando o gerenciador de pacotes da tua distribuição.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Impedindo temporariamente o login de usuários no Linux

As vezes, devido a uma manutenção, é necessário impedir que novos usuários se conectem ao servidor Linux. Para fazer isso de uma forma bem simples basta criar um arquivo chamado nologin na pasta /etc. O comando abaixo faz a mágica acontecer.

# touch /etc/nologin

Para liberar os logins basta apagar o arquivo.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Nmap descobrindo a versão do programa remoto

Entre as várias funcionalidades do Nmap, um dos mais conhecidos scanner de rede, está a de tentar descobrir quais programas e versões estão instalados no alvo. A opçao "-sV" faz a brincadeira acontecer.

$ nmap -sV 172.20.1.1
Starting Nmap 6.00 ( http://nmap.org ) at 2014-06-17 11:56 BRT
Nmap scan report for 172.20.1.1
Host is up (0.0011s latency).
Not shown: 980 closed ports
PORT     STATE SERVICE       VERSION
42/tcp     open  wins              Microsoft Windows Wins
53/tcp     open  domain          Microsoft DNS
88/tcp     open  tcpwrapped
135/tcp   open  msrpc            Microsoft Windows RPC
139/tcp   open  netbios-ssn
389/tcp   open  ldap
445/tcp   open  microsoft-ds   Microsoft Windows 2003 or 2008 microsoft-ds
464/tcp   open  kpasswd5?
593/tcp   open  ncacn_http     Microsoft Windows RPC over HTTP 1.0
636/tcp   open  tcpwrapped
1025/tcp open  msrpc            Microsoft Windows RPC
1027/tcp open  ncacn_http     Microsoft Windows RPC over HTTP 1.0
1048/tcp open  msrpc            Microsoft Windows RPC
1053/tcp open  msrpc            Microsoft Windows RPC
1124/tcp open  msrpc            Microsoft Windows RPC
2701/tcp open  landesk-rc     LANDesk RC 2.0
2702/tcp open  sms-xfer?
3268/tcp open  ldap
3269/tcp open  tcpwrapped
3389/tcp open  ms-wbt-server Microsoft Terminal Service
Service Info: OS: Windows; CPE: cpe:/o:microsoft:windows

Service detection performed. Please report any incorrect results at http://nmap.org/submit/ .
Nmap done: 1 IP address (1 host up) scanned in 50.23 seconds

Outro exemplo:

$ nmap -sV 172.20.1.14
Starting Nmap 6.00 ( http://nmap.org ) at 2014-06-17 12:21 BRT
Nmap scan report for www.segundatela.tv.br (172.20.1.14)
Host is up (0.00062s latency).
Not shown: 993 closed ports
PORT      STATE SERVICE                VERSION
22/tcp       open  ssh                    OpenSSH 6.0p1 Debian 4 (protocol 2.0)
80/tcp       open  http                   Apache httpd 2.2.16 ((Debian) PHP/5.3.3-7+squeeze14 with Suhosin-Patch)
111/tcp     open  rpcbind (rpcbind V2-4) 2-4 (rpc #100000)
666/tcp     open  http                   darkstat network analyzer httpd 3.0.715
873/tcp     open  rsync                 (protocol version 30)
2049/tcp   open  nfs (nfs V2-4)    2-4 (rpc #100003)
10000/tcp open  http                   MiniServ 1.660 (Webmin httpd)
Service Info: OSs: Linux, Unix; CPE: cpe:/o:linux:kernel

Service detection performed. Please report any incorrect results at http://nmap.org/submit/ .
Nmap done: 1 IP address (1 host up) scanned in 46.18 seconds



sexta-feira, 13 de junho de 2014

Ferramenta de rede gráfica do Gnome

O Gnome tem uma ferramenta gráfica interessante para configurar a rede e fazer pequenas análises. É o Gnome Net Tools.


O Gnome Net Tools permite configurar a rede e ainda tem ferramentas para testes de Ping, Netstat, Traceroute, consultas Whois e até varredura de portas.


Para quem não está familiarizado com a linha de comando essa ferramenta ajuda bastaste.